ESTAMOS
À ESPERA
casa das artes
2 anos 10 meses 1 dia

Democracia em directo, ou como dar cabo da política

A assembleia municipal de ontem foi  transmitida em directo, num esforço de aperfeiçoamento dos serviços da edilidade e apresentada como uma iniciativa de abertura e transparência do exercício da actividade política. Uma opção apoiada por todos os membros que, em hora de despedida (era a última assembleia do mandato que agora finda), desejaram um relacionamento interdeputados isento de ataques pessoais e mais atento à discussão dos problemas do concelho.

Importa contudo olhar para os efeitos dessa transmissão e verificar o uso que os seguidores dão às intervenções. Está dada luz verde para o insulto gratuito, ligeiro e mesmo malcriado, atentatório da dignidade pessoal dos intervenientes.

Este ataque incontrolado afecta a disponibilidade dos deputados em intervir em próximas assembleias que, fazendo-o, serão alvo fácil de ataques de carácter. Acontece que estes ataques são difusos (porque se multiplicam nas redes sociais) impedindo o alvejado de se defender (um direito inalienável), por impossibilidade real de responder a todos os comentários.

Podemos dizer que todos os deputados estarão em igualdade de circunstâncias e todos poderão ser atacados por esta via, pensando que se estabelece uma plataforma igualitária, debaixo do princípio “quem não deve, não teme. Mas não será assim. Está patente o perigo de os deputados municipais acabarem por ter menos liberdade de expressão – se comparada na que teriam numa secção privada, embora pública, como agora.

Abriu-se a possibilidade do ataque livre, irresponsável, sem fundamento e, por isso, injusto contra pessoas que se dedicam à política, por ela dão rosto e nome. E que merecem o respeito institucional por ali estarem com legitimidade própria – foram escolhidos por nós.

Ao permitirmos este “diálogo” – na rede – contra a honorabilidade dos eleitos, estamos a promover sobretudo a ignorância e a dar-lhe voz. E estamos sobretudo a colocar na lama uma actividade nobre – a política.

Rádio Freamunde