ESTAMOS
À ESPERA
casa das artes
2 anos 9 meses 3 semanas 4 dias

Congresso do PS – a normalização política

Decorreu este fim-de-semana o congresso do PS com a eleição do nova comissão política nacional e com a novidade de incluir dois dirigentes do nosso concelho – Humberto Brito e Armanda Fernandez.

A Comissão Nacional é o órgão deliberativo máximo do Partido entre Congressos, competindo-lhe estabelecer a linha da atuação do Partido, nomeadamente na esfera da sua ação política e velar pela sua aplicação.

Para memória futura fica a imagem criada por António Costa que exibiu publicamente no congresso a entrega de cartão militante do partido à ministra da Saúde, Marta Temido. Imagem suficiente para a colocar na linha de sucessão futura do actual chefe de governo.

Uma sucessão não tratada no congresso mas objecto de múltiplas conversas que mais não são sobre futuríveis líderes analisados em tempos de bonança. As eleições para as distritais que ocorreram no início do ano constituíram uma oportunidade de avaliação de candidatos onde se percebeu que Nuno dos Santos corre em linha própria e que tem a oposição do actual secretário geral.

O sinal dado no congresso permite concluir que a única preocupação do actual primeiro-ministro é garantir as negociações com o PCP e BE em sede de orçamento de Estado, e relevância dada a Marta Temido explica isso mesmo – uma janela aberta para conversar amenamente com Catarina Martins, dado que com Jerónimo de Sousa falará António Costa.

…E em Paços de Ferreira?

Não parece, mas a coisa move-se! Não sendo assunto de conversa, dada a necessidade de conquistar a Câmara no dia 26 de Setembro, há movimentações cautelosas, silêncios novos e cálculos permanentes visando manter fidelidades para tempos futuros.

Os protagonistas continuarão a ser os mesmos e não se prevê alteração nos personagens. Mas há contas para fazer depois das autárquicas e veremos como serão saldadas brevemente.