Freamunde – Capão de água na boca e Santa Luzia, no dia 13

A origem da criação de frangos capão é controversa, uma vez que tais práticas foram identificadas tanto no extremo oriente na China antiga, quanto na Europa durante o Império Romano e Grécia Antiga.

Uma das versões remonta à República Roamana, como forma de burlar o banimento do cultivo de galos em Roma por um de seus cônsules, o qual supostamente teria se irritado com barulho que faziam durante a madrugada. Contudo, verificou-se que, para consolar a perda da função reprodutora, as aves castradas teriam começado a se alimentar compulsivamente e a engordar bastante, o que teria institucionalizado a prática.

Em outra versão, a castração teria sido utilizada para engorda de galos com o surgimento da lei romana Lez Faunia, que passou a restringir o consumo diário de aves.

A partir da Era Cristã o capão passou a ser um prato tradicional das festas de Natal pela Europa, apesar de estar caindo no esquecimento . No Brasil, o costume subsiste no interior do Nordeste  e na culinária caipira.

Contudo, em algumas regiões da Europa o prato continua a ser servido mesmo fora do Natal, como é uso em Freamunde.

Em Portugal, na freguesia de Freamunde realiza-se a 13 de dezembro a feira anual do frango capão, desde que Dom João IV subiu ao trono em 1706. Na Itália, o evento ocorre na mesma época, nas regiões da Emília Romanha, Toscana e Veneto. Na Espanha, acontece a 19 de dezembro, na comarca de Lugo, região da Galiza.

“Galinheira” que vende o capão (estátua de Gusto Ramos, em Freamunde)

Feira dos Capões no dia 13

Esta feira acontece pelo menos desde 1706 ininterruptamente, definindo Freamunde como uma terra de atração comercial e assim tendo crescido em termos urbanos o que desenhou o domínio público do seu centro urbano – um dos maiores do país, hoje com características lúdicas e que dá lugar a este evento no centro da actual cidade.

Freamunde, uma terra milenar, construiu assim uma tradição de ajuntamento e capacidade de mobilização popular que se traduz nos múltiplos eventos, plasmados nas suas ruas e expressões artísticas como acontece com a capela de Santo António (a confraria que geria as feiras da terra por mandato do rei), dando expressão ao espírito que explica a sua importância ao longo dos tempos.

Com efeito, os primeiros grupos que se fixaram, neste pedaço de terra teriam nele encontrado condições privilegiadas de fertilidade, beleza e frescura natural que os atraíram e depois os prenderam aqui. Procuravam ou fizeram aqui a sua Paz (Frea) e acoitaram-se à sua Protecção (Munde), a protecção duma natureza afável, a proporcionar-lhes condições e garantias para a fixação.

Aglutinar-se-iam, mais tarde, os dois termos de origem germânica – Frea (de FRIJUS) e Munde (de MONDE) – para surgir o topónimo Freamunde, um genitivo de Fredemundus, e cognominar este recanto, como “terra de paz e protecção”.

A semana gastronómica

É a partir desta realidade que se realiza no mês do dezembro a semana gastronómica do capão promovida pelos restaurantes da região, num acto de promoção e atração turística de notável importância para o comércio local.

De 1 a 13 de dezembro têm os leitores muitas razões para até aqui se deslocarem, deliciarem-se com uma refeição digna de “reis” e conheceram as terras de Ferreira que deram origem ao nosso concelho de Paços de Ferreira, no distrito do Porto.

Reveja estas imagens, a cores e em directo, dia 13 em Freamunde.


Foto de destaque – restaurante A Presa

 

 

 

Seja Assinante

Promovemos Freamunde em todo o mundo. ASSINE aqui e, por 25 euros ano, tenha acesso a todos os conteúdos sem limite.

Não excluímos ninguém. Se não pode pagar o valor acima indicado, visite-nos ao sábado entre as 10 e as 12h00, na Rua do Comércio 125, em Freamunde, para encontramos uma solução.