ESTAMOS
À ESPERA
casa das artes
2 anos 9 meses 3 semanas 4 dias

Freamunde – subsídios, máquinas e prazos

A Câmara Municipal pagou o subsídio de 2021 à Banda de Freamunde no último dia do ano. Uma boa notícia para a nova direcção empossada em Novembro. Não conseguimos confirmar, contudo, se a promessa feita de subsidiarem as obras entretanto realizadas – através do pagamento dos materiais de construção – tem prazo previsto.

As transferências da sede administrativa do concelho para a nossa cidade conheceram um atraso de nove meses, contrariando o prazo habitual que é de Março, esperando-se assim que daqui a três meses receba a instituição o subsídio de 2022 – altura crucial para preparar e executar as celebrações dos 200 anos da banda.

Ao mesmo tempo no estádio do SCF encontra-se estacionada, desde setembro, uma máquina retroescavadora muito útil para dar cumprimento à promessa de um novo piso sintético. Envolvida pelas agruras do tempo, e contradição dos contratos, continua parada, embora já tenha cumprido parte da missão – prometer e provar aos freamundenses que esta é a hora e que a glória das boas obras ali teria chegado.

Teme-se contudo, na cidade dos cépticos, que as obras de pormenor continuem atrasadas, uma vez que os serviços camarários optaram por conceber e planear um novo complexo desportivo em Carvalhosa que tem o condão de alegrar “a menina dos olhos” do nosso presidente. (Olhe para as fotos do estudo projectado, aqui publicadas, e perceberá que é obra do regime).

Entretanto a Rádio Freamunde solicitou, aos serviços de comunicação da Câmara Municipal, informação relativa ao Centro Cultural prometido, recordando terem passados noventa dias sobre o acto eleitoral. Até ao fecho deste edição ainda não recebemos nenhum esclarecimento. Recorde-se que se trata de uma promessa assumida pelo partido vencedor das eleições e que também constava do compromisso eleitoral de todos os outros partidos.

FREAMUNDE NA “TERRA DO NUNCA”

Pista de atletismo no estádio do SCF

O SCF vai instalar uma pista de atletismo no seu estádio. A medida está tomada depois de uma reunião realizada ontem nas instalações do clube em que participaram o presidente da direcção e o director desportivo com pessoas especializadas nesta área e que ajudarão o clube a criar a secção de atletismo.

Será a primeira pista do concelho e estará ao serviço da população pretendendo o SCF oferecer esta prática de desporto a todos os interessados mas em segurança e com orientação técnica e pedagógica adequadas.

Este serviço comunitário será aberto primeiramente a sócios do clube e a residentes do concelho que hoje estão obrigados a recorrer às instalações de Lousada.

Recorde-se que esta abertura ao atletismo é vista com interesse pela direcção do SCF empenhada que está também na criação da secção de bilhar. Os bilhares já se encontram nas instalações e as obras desta secção estão quase terminadas.

Em Maio de 2020 publicou a Rádio Freamunde a notícia acima reeditada e que sobretudo referia a nova aposta do SCFreamunde no atletismo, considerando a direcção do clube como necessário o investimento na pista de atletismo para sustentar o crescimento e desenvolvimento da modalidade, sobretudo na parte norte do concelho, oferecendo aos atletas as condições necessárias.

Não voltamos ao assunto até agora, por entender que é preciso trabalhar a ideia, criar consensos à volta dela, depois de verificar a sua necessidade. Se desta não resultam dúvidas, percebemos que o consenso será muito difícil dadas as informações por nós recolhidas e que se prendem com a provável instalação em Carvalhosa de uma pista (exactamente) de atletismo.

Quando demos a notícia e questionado pelos jornalistas sobre esta informação, o senhor presidente da Câmara reagiu com a frase conhecida “na terra do nunca”. Também nunca a comentamos e só agora a trazemos aqui por perceber finalmente o sentido da frase: Em Freamunde, não!

Percebemos também que “em Carvalhosa, sim”, apesar do aperto orçamental.

O “concelho urbano” sufragado nas últimas eleições começa assim a tomar rosto: aumento exponencial do parque urbano na sede administrativa do concelho – vai chegar a Meixomil! – e nova centralidade a partir de Carvalhosa.

Curioso que da aposta urbana concelhia apenas Freamunde não beneficie.