A propósito do conceito de economia verde ou de ambiente

A economia ambiental é um sub-ramo da economia que se debruça sobretudo no estudo do uso de propriedade comum. Atualmente temas relacionados com a economia ambiental têm ganho bastante importância

A economia ambiental procura arranjar maneiras de mitigar os problemas de modo a maximizar o valor dos recursos. Entre esses temas incluem-se: a desflorestação, a sobre-exploração dos recursos marinhos (essencialmente a sobrepesca), o aquecimento global derivado do efeito de estufa resultante das emissões de gases para a atmosfera, etc.

Um grande salto nesta economia foi dado através do protocolo de Quioto (procura de meios para reduzir o efeito do aquecimento global).

Economia Verde

Uma economia verde é uma economia que visa reduzir os riscos ambientais e a escassez ecológica, e, também, o desenvolvimento sustentável sem degradar o meio ambiente. Está intimamente relacionado com a economia ecológica, mas tem um foco mais político. O Relatório de Economia Verde do PNUMA 2011 argumenta “que para ser verde, uma economia não deve ser apenas eficiente, mas também justa. Equidade implica reconhecer as dimensões de equidade global e nacional, particularmente em assegurar uma Transição Justa para uma economia de baixo consumo de carbono, eficiente em termos de recursos e socialmente inclusiva. “

As práticas verdes e de rótulo ecológico surgiram como indicadores de respeito ao meio ambiente e desenvolvimento sustentável para o consumidor. Muitas indústrias estão a começar  a adotar esses padrões como forma de promover as suas práticas ecológicas numa economia globalizada. Também conhecidos como padrões de sustentabilidade, esses padrões são regras especiais que garantem que os produtos que um indivíduo compra não prejudicam o meio ambiente e as pessoas que os fabricam.

O número desses padrões cresceu recentemente e agora podem ajudar a construir uma economia nova e mais verde. Eles englobam setores económicos como silvicultura, agricultura, exploração de minérios ou pesca, entre outros; concentra-se em fatores ambientais, como proteção de fontes de água e biodiversidade, ou redução de emissões de gases de efeito estufa; apoiar proteções sociais e direitos dos trabalhadores; e contrar-se em partes específicas dos processos de produção. 

Economia Verde – o que é?

Karl Burkart definiu a economia verde com base em seis pilares:

Energia renovável

Edifícios verdes

Transporte sustentável

Gestão de água

Gestão de resíduos

Gestão de terras

Medidas ecológicas

A medição da produção económica e do progresso é feita por meio do uso de indicadores de índices económicos. Os índices verdes surgiram da necessidade de medir o impacto ecológico humano, setores de eficiência como transporte, energia, edifícios e turismo, bem como os fluxos de investimento direcionados a áreas como energia renovável e inovação em tecnologia limpa.

2010-2018 Global Green Economy Index ™ (GGEI), publicado pela consultoria Dual Citizen LLC está em sua 6ª edição. Ele mede o desempenho económico verde e as percepções dele em 130 países ao longo de quatro dimensões principais de liderança e mudança climática, setores de eficiência, mercados e investimento e meio ambiente.

Economia verde e ambiental: https://pt.wikipedia.org/wiki/Economia_ambiental

 

Por David Carvalho

Esta reportagem continua a ser editada amanhã


Foto – https://ednh.news/main-points-of-europes-green-economy-plan/

 

Seja Assinante

Promovemos Freamunde em todo o mundo. ASSINE aqui e, por 25 euros ano, tenha acesso a todos os conteúdos sem limite.

Não excluímos ninguém. Se não pode pagar o valor acima indicado, visite-nos ao sábado entre as 10 e as 12h00, na Rua do Comércio 125, em Freamunde, para encontramos uma solução.