ESTAMOS
À ESPERA
casa das artes
2 anos 9 meses 3 semanas 3 dias

Condicionamento de entrada do público na AM criticado pelo PSD

Na última assembleia municipal alguns populares não puderam entrar por estar “esgotada” e limitada a 18 cadeiras a participação do público. O PSD tomou posição crítica sobre este assunto através do comunicado que pode ler a seguir:

A Comissão Política do PSD Paços de Ferreira reuniu no dia de ontem para analisar o sucedido
na Assembleia Municipal de quarta-feira, no que diz respeito ao bloqueio no acesso dos nossos
concidadãos à casa da democracia do concelho.
Ao que apurámos, alguns concidadãos foram barrados por um segurança na entrada principal
dos paços do Concelho, com a justificação de que apenas poderiam estar presentes 18 pessoas
na zona destinada ao público. Ora, uma parte dessas pessoas que pretendia entrar
concentrou-se na entrada do edifício ainda não eram 20:30 horas, ou seja, meia hora antes do
início da reunião. Estranhamente, o segurança informou aos presentes de que a zona para o
público já se encontrava lotada, o que impossibilitava a entrada de mais pessoas.
Alguns dos concidadãos que estiveram presentes informaram-nos que, mais tarde, pessoas
ligadas ao PS entraram pela porta das traseiras da Câmara Municipal para assistirem à sessão
nas cadeiras destinadas ao público. Queremos acreditar que, num cenário por si só tão mau,
um episódio com esta gravidade não viesse a acontecer.
A verdade é que os nossos deputados presentes na Assembleia Municipal constataram que
estiveram sentados no espaço para o público alguns dos assessores da Câmara Municipal,
assim como apenas elementos com ligações ao Partido Socialista.
Por tudo isto, este PS, avocado e liderado por Humberto Brito, escolheu a última Assembleia
Municipal para pintar de negro a história da democracia do nosso concelho.
É mais um episódio triste a que assistimos na casa da democracia, depois da demissão do
presidente da Assembleia Municipal, Ricardo Pereira, por não confiar neste executivo PS, e de
alterações das atas das reuniões.
Também este PS do Humberto Brito chumbou por três vezes a proposta do PSD das
transmissões online das assembleias municipais.
A última quarta-feira vai ficar na história negra do nosso concelho. O PS mostrou mais uma vez
que não quer saber dos nossos concidadãos, impedindo-os de transmitirem a sua opinião na
casa da democracia. Esta atitude faz-nos recuar aos períodos mais negros da história da nossa
República.
O PSD Paços de Ferreira não pode aceitar estes comportamentos antidemocráticos e, como
tal, remeteu ao presidente da Assembleia Municipal um pedido de esclarecimentos sobre o
plano de contingência para as assembleias municipais, utilizado no período do estado de
emergência e no estado de calamidade. Lembramos que nos períodos mais críticos da
pandemia nunca existiu este controlo e bloqueio nas entradas dos concidadãos para as
Assembleias Municipais.
O PSD Paços de Ferreira solidariza-se e enaltece ainda o comportamento dos seus deputados,
que se mantiveram a cumprir as suas funções na última Assembleia Municipal, para garantir o
debate e a pluralidade de opiniões.