ESTAMOS
À ESPERA
casa das artes
2 anos 9 meses 3 semanas 3 dias

Diz-me com quem te sentas e dir-te-ei para onde vais

O Politburo da Rotunda acompanha com apreensão o desenho futuro dos destinos do reino, dada a necessidade de acautelar a visão estratégica do concelho e avesso que é a eventuais alterações dos destinos da coisa. Vigia pois o consumo da Super Bock nas tascas das aldeias, contabiliza o consumo e avalia o gáudio momentâneo que provoca na noite.

Também sabe que noutras andanças o consumo de sumo de laranja é residual pelo que nessa secção recolhe a informação da tranquilidade dos serenos militantes que aspiram por uma boa-nova que há-de chegar, embora não se saiba muito bem como.

Seja como for, as últimas informações apontam para o aparecimento de um perfil que sendo bem recomendado por membros do comité central apresenta ainda alguns sinais que será preciso esbater: o sotaque ainda tem algumas tonalidades próximas do espanhol e há resíduos de algumas cores em azul esbatido.

Perante esta dificuldade, acredita-se no Politburo que são defeitos passíveis de resolução e os mil dias que ainda faltam poderão formar o substituto numa cor neutra – aquela tonalidade que permite uma visão “equilibrada” do concelho urbano e que garanta a paz do Comité, sobretudo mantendo o equilíbrio da actual trajectória de sucesso.

Teme-se contudo que a paz necessária seja perturbada por teimosos do costume que pondo em causa a paz dos anjos se poderão amotinar e, desta vez, percorrerem o caminho dos excluídos e chegar ao porto de um exército independente. Esta possibilidade atazana a calma de alguns membros do Comité, eles que são defensores de um “consenso democrático”, sempre garantido pela lista “única”.

Aliás, a característica essencial do Politburo é essa mesmo – uma lista única de interesses, seja quem for que ocupe a cadeira do poder, até para garantir a paz “social” e sustentar o “progresso” da nossa terra, hoje pujante e esplendorosa desde que vista a partir do centro – sede e território do Politburo.

Há pois que esperar e explicar aos putativos candidatos o interesse em estudarem a narrativa que o Politburo disponibiliza. A velocidade de entendimento desta narrativa garante o sucesso individual do eleito e proporciona o perfume do poder. É certo que terão os candidatos acolhidos pelo Comité de passar pela prova das sandes e finos progressivos – os chamados copos – mas isso é apenas o teatro da democracia ensaiada, a caminho da festa que há-de chegar.

NOTA: O Politburo da Rotunda reúne todas as quarta-feiras, avalia as tendências e verifica o andamento da coisa. As reuniões são secretas e discretas. Com uma experiência de mais de quarenta anos, os seus membros que passam de geração em geração encontram-se de cara tapada, mas falam das suas necessidades. A espada está disponível e raramente é usada, embora esteja apontada a quem ouse colocar em causa a paz que o céu nos deu.