ESTAMOS
À ESPERA
casa das artes
2 anos 9 meses 3 semanas 4 dias

Nos 100 anos de João Taipa

A 30 de Julho de 1922, nascia João Correia Gomes Taipa, o primeiro filho de Joaquina Correia da Fonseca e Ernesto Gomes Taipa. Uma vida que viria a ser longa, exemplar, de um dos melhores filhos que esta terra viu nascer, crescer e viver, porque a honrou, porque levou o seu nome mais longe, pela dimensão nacional que a sua carreira de futebolista atingiu.

Entre as gerações mais antigas não existe um consenso (o que só valoriza os que são apontados como tal) sobre o melhor futebolista, tecnicamente, a jogar no velhinho e extinto Campo do Carvalhal.
No entanto existe unanimidade em que o João Taipa, (para mim, e para muitos, o Joãozinho) foi único na história do nosso clube, quanto mais não fosse pelo facto de ter jogado futebol até aos 42 anos de idade, mas o Joãozinho foi mais longe, fica na história por mais motivos.

Na época de 1941/42, faz parte da equipa Campeã da 3.ª Divisão da A. F. Porto, naquele que foi o nosso primeiro título, tendo sido o melhor marcador, apontando 21 dos 9 golos da nossa equipa.
Na época seguinte, o Campo do Lima passa a ser a sua casa, o Joãozinho passa a vestir de dragão ao peito, a
camisola do FC Porto. O azul foi sempre a sua cor e mais tarde regressa ao Freamunde Sport Clube, que logo depois passa a conhecer a designação que hoje ostentamos, Sport Clube de Freamunde.

No FC Porto o seu ídolo foi o Artur de Sousa “Pinga”, enquanto que por cá, a par de “Rui da Praça”, os seus primos Humberto e Ernesto, e o António Couto, foram os avançados que mais admirou.

Nas cerimónias de abertura das Comemorações do 50.º aniversário da Federação Portuguesa de Futebol,
em 1964, João Taipa foi o atleta, a nível nacional, como exemplo de disciplina, escolhido e utilizado para
porta-estandarte, tendo recebido a Medalha de Ouro – Mérito Desportivo. A Associação de Futebol do
Porto também o condecorou, em 1964, com a Medalha de Ouro – Exemplar Comportamento, tendo em
1966 condecorado com Medalha de Ouro – Mérito Desportivo.

Quem conseguiu, quem conseguirá, em 27 anos de carreira futebolística nunca conhecer qualquer tipo de
sanção disciplinar? João Taipa só conheceu o “cartão” da disciplina, do fair-play… e isto é de facto ser um
grande campeão, um campeão imbatível.

A 2 de Fevereiro de 2014, com 91 anos de idade, o Joãozinho partiu para um céu, que se tornou assim
ainda muito mais azul, para continuar as conversas que tinha no seu Café Teles, com o seu amigo Alfredo
Matos (Cherina), que hoje talvez lhe esteja a contar como se faz para chegar em vida aos 100 anos de
idade.

Para a história da terra, do Sport Clube de Freamunde, fica a história de um desportista único e exemplar.
Para a história da sua família, dos seus amigos, de quem o conheceu fica a história de um homem bom, um
exemplo a seguir.
Gratidão eterna, Joãozinho.

______________________________________________________________________
Texto: Pedro Ribeiro
Fonte: livro 20 anos Anos – 20 Pedaços de Nós, de Joaquim Pinto
Fotos: Joaquim Pinto

______________________________________________________________________