ESTAMOS
À ESPERA
casa das artes
2 anos 10 meses 1 dia

Quando o Natal chega atrasado…

É Natal!
Caem pétalas de neve no meu peito
que queimam meu ser
que estalam logo ao teu calor…

É a tua mão, meu amigo
a tua voz, o teu sorriso
o teu desejo, bom Natal!

Caem pétalas de neve aos meus pés
que aquecem meu andar
que estalam ao teu abraço..

É Natal!
Estamos juntos, amigo
num abraço, num sorriso
num olá na tua voz….
É Natal!

****

Chove lá fora!
mas na penumbra da tarde
por trás das árvores sem cor
nessa gruta tão escondida
brilham estrelas
chega Jesus.

Chove lá fora!
meu ser treme com o vento
mas caminho para o abraço
que me enrola que me aquece
caminho para o menino sem pão
sem nome sem lar sem Natal
vou levá-lo ao Menino da gruta…

E tu?
Vem daí.
vem comigo.
Chove lá fora!

***

O NATAL VAI CHEGAR ATRASADO

Sente-se que vai chegar o Natal

há nas ruas anúncios e colorido

e a televisão mostra sempre coisas bonitas

são estrelas bolas fitas e presentes

reclames de encantar os meninos

dos que escrevem cartas ao Pai Natal

que traz brinquedos a quem já tem brinquedos.

 

Sente-se que está a chegar o Natal

há geadas no cimo dos pinheiros

há dedos gelados nos meninos

que mandam cartas de papel e sonho

há ruas que brilham com pérolas de néon

a impedir o brilho da estrela que não vem.

Sente-se que vai chegar o Natal

não nos olhos das crianças ranhosas

que nos cortam o passo nas cidades

não na angústia das mulheres sem casa

mulheres sem sonhos nem ilusões.

Sente-se que está a chegar o Natal

acredita-se na fraternidade universal

e que todos os homens vão ser iguais.

 

Para a fome e as crianças ranhosas

para os solitários e abandonados

para os rejeitados e adjectivados

no superlativo de interioridade

o Natal vai chegar atrasado.

 

Acredita-se na fraternidade universal

mas o Natal vai chegar atrasado.

 

Textos: Rosalina Oliveira