ESTAMOS
À ESPERA
casa das artes
2 anos 9 meses 3 semanas 4 dias

Devia haver uma pílula anti-decepcional, não era?

Assim, de facto, estamos em pleno século XXI, com evolução da ciência a vários níveis e como é que é possível ainda ninguém se ter lembrado de inventar uma pílula anti-decepcional?

Era tudo tão mais fácil. Não ter de lidar com as nossas emoções. E o mais espetacular é que dava para qualquer situação.

Senão, vejamos alguns exemplos práticos:

1.º Achava que tinha um amigo, que afinal se revelou um grande filha de uma senhora que, porventura, pratica atos sexuais remunerados? Toma uma pílula anti-decepcional que isso passa!

2.º Estava quase a ter uma promoção no trabalho, mas algum colega ficou com a sua promoção porque você não foi capaz de ser um lambe-botas como deve de ser? Toma uma pílula anti-decepcional!

3.º Aquele aumento de salário não aconteceu porque não atingiu os objetivos? Que se lixe! Toma um anti-decepcional e está tudo bem!

4º Descobriu que o seu filho não está no terceiro ano da faculdade? E vai uma pílula anti-decepcional pela goela!

5º Sobe na balança e descobre que engordou 20 quilos? Hello? Pílula anti-decepcional!

6.º Constata que, ao final de quatro anos, o seu político local afinal não era o que dizia ser, e que as atitudes não coincidem com os atos? 

Aqui não existe pílula anti-decepcional que nos valha! O que vale mesmo é votar para mudar o que está errado. O que vale mesmo é ir votar!

As deceções acontecem. Fazem parte da vida. E acontecem porque o ser humano coloca amor nas relações. E as deceções acontecem porque, na equação da vida, existe sempre um grau maior ou menor de expectativa. Se o amor é muito grande, a expectativa é proporcional ao amor. Se nos dececionamos, será na medida exata do amor e da expectativa.

Esse tipo chamado “Amor”, que controla tudo, lixa-nos a vida. 

Mas, eu percebo que esta pílula não seja inventada. Se fosse, o que seriam dos “Raules da minh’alma”, “Gustavos Santos” e “Pedros Chagas de Freitas” desta vida? 

Isto deixaria de acontecer! Tomava-se uma pílula anti-decepcional e estávamos prontos para seguir o Mandamento da Lei de Deus que é nada mais nada menos do que Amar o Próximo…

Por Gabriela Torres