ESTAMOS
À ESPERA
casa das artes
2 anos 10 meses 1 dia

É para o lado que durmo melhor!

Já todos ouvimos esta expressão. Usamo-la quando não nos queremos importar minimamente com determinada situação. Usamos da indiferença para certos acontecimentos que podem, de alguma forma, interferir com a nossa vida.

Em ano de eleições autárquicas, eleições essas que mexem diretamente com o nosso dia-a-dia, não podem ser-nos indiferentes. Até porque, não raras vezes, necessitamos de um serviço da nossa freguesia ou da nossa câmara municipal ou mesmo da Assembleia Municipal. Por isso, estas eleições são tão importantes para nós.

É importante saber e conhecer as propostas que cada lista candidata apresenta para a nossa comunidade. É imperioso ter espírito crítico e saber se esta ou aquela candidatura é mais ou menos populista. Se as suas propostas são, efetivamente, concretizáveis ou, então, propostas que nada mais são do que uma “caça ao voto” e que, após ganhas as eleições, não é possível a sua concretização.

Estar atentos ao que se passa na nossa terra, na nossa freguesia não pode ser “para o lado que dormimos melhor”! Todos temos o direito e o dever de ser interventivos no desenvolvimento da nossa terra, de exigir aos eleitos que sirvam a nossa terra com abnegado desinteresse pessoal, estando sempre acima o bem público dos interesses pessoais!

Há quem considere que, opinar, em política, possa ser um ato perigoso. Eu prefiro chamá-lo um ato de coragem! Porque nem sempre somos concordantes com a maioria, mas isso não significa que tenhamos de calar a nossa opinião ainda que discordante! É na pluralidade de opiniões que desenvolvemos a nossa comunidade. Ouvindo opiniões diferentes das nossas, mas tão ou mais válidas do que as mesmas! Fazendo pontes entre as opiniões divergentes, criamos uma rede. E uma rede não é nada mais do que a união entre pontos divergentes!

E estar na política não é só fazer parte de uma lista candidata. Estar na política é muito mais do que isso! É ser um cidadão preocupado, atento, e acima de tudo, crítico. Com uma voz nas instituições da democracia: juntas de freguesia, câmara municipal e assembleia municipal! E estar na política não é só de 4 em 4 anos, mas todos os dias! Porque não somos eleitores só de 4 em 4 anos. Somos cidadãos eleitores todos os dias!

E é por isso que, quando está em causa o desenvolvimento da minha terra, “não é para o lado que eu durmo melhor”! 

Gabriela Torres

A Rádio Freamunde dá as boas vidas à cronista Gabriela Torres. Convidámo-la para redigir textos de autor, alargando o leque de opinião que pretendemos aumentar. Esta autora residente em Ferreira alia a sua intuição criativa ao humor, carregado de irreverência que achamos saudável numa sociedade democratica. Welcome “Gabriela Dixit”