ESTAMOS
À ESPERA
casa das artes
2 anos 10 meses 1 dia

Adaptação ao vírus que veio para ficar!

As pandemias acabam sempre e mesmo esta também terminará, embora o omicron esteja complicando a questão de saber quando isso vai acontecer. Mas não será como apertar um interruptor: o mundo terá que aprender a coexistir com um vírus que não vai embora.

O ultracontagioso omicron mutante leva os casos a níveis históricos e causando o caos enquanto um mundo exausto luta, novamente, para conter a disseminação. Mas desta vez, não estamos no zero.

As vacinas oferecem forte proteção contra doenças graves, mesmo que nem sempre evitem uma infecção leve. O Omicron não parece ser tão mortal quanto algumas variantes anteriores. E aqueles que sobreviverem terão alguma proteção renovada contra outras formas do vírus que ainda circulam – e talvez o próximo mutante a surgir também.

A mais nova variante é um aviso sobre o que continuará a acontecer “a menos que realmente levemos o jogo a sério”, disse o Dr. Albert Ko, especialista em doenças infecciosas da Escola de Saúde Pública de Yale.

“Certamente o COVID estará connosco para sempre”, avisa Ko que acrescenta: “Nunca seremos capazes de erradicar ou eliminar COVID, então temos que identificar os nossos objetivos.”

A Organização Mundial da Saúde determinará, em momento a anunciar, quando um número suficiente de países reprimiu os seus casos COVID-19 o suficiente – ou, pelo menos, hospitalizações e mortes – para declarar a pandemia oficialmente encerrada. Exatamente qual será esse limite, não está claro! Mas esperamos essa notícia…